Roda Viva Sem Medo | Guilherme Boulos, Douglas Belchior e outras pré-candidaturas participam de evento na PUC-SP

Douglas Belchior e Guilherme Boulos na PUC-SP

Na noite da última segunda-feira (11), Douglas Belchior, pré-candidato a deputado federal, foi um dos convidados do “Roda Viva Sem Medo”, organizado na PUC-SP, que tinha como entrevistado principal o pré-candidato à presidência, Guilherme Boulos.

“Não tem um único pobre nesse país que vai discordar de taxar grandes fortunas. O que falta é chegar nessas pessoas. Se nos derem um microfone, conquistamos o olhar e o interesse dos brasileiros”, afirmou Douglas Belchior, reafirmando uma das principais propostas de Boulos.

Em seguida, Douglas formulou seu questionamento sobre o SUS. “90% das crianças mortas por desnutrição no Brasil são negras; 60% das crianças que contraem doenças infecto parasitais são negras; O índice de suicídios é maior entre negros; 76% dos usuários do SUS são negros. Como é que o nosso governo vai tratar o SUS e reverter essa lógica de privatização?”

“Esses dados que o Douglas trouxe são a prova do racismo estrutural nesse país. O SUS é um excelente sistema, a ideologia que desmoraliza o SUS é mentirosa. O SUS é uma conquista da Constituição de 1988. Ao todo, 160 milhões de pessoas dependem do SUS, a maioria negra, como disse o Douglas”, explicou Boulos.

O pré-candidato concluiu lamentando a destinação de verbas para o sistema. “O percentual do PIB que vai para o SUS é 3,8%. Em países com sistema de saúde público a média é 8%. Está aí o problema do SUS. Nós precisamos ter uma política de investimento continuada para o SUS e para a saúde pública no Brasil”, encerrou.

Os coletivos estudantis que organizaram o encontro convidaram, ainda, Ivan Valente, Paula Nunes, Isa Penna, Amora Moira, Ligia Fernandes, Jupiara Castro, Toninho Vespoli, Douglas Belchior, entre outros militantes para o debate com o pré-candidato a presidência da república.

Foram debatidos temas centrais para a disputa de projeto como orçamento e financiamento para educação, saúde, trabalho, mulheres e LGBT.

 

Fonte: Douglas Belchior

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *