Polícia Militar invade APS de Osasco e age com truculência contra trabalhadores

Fonte: CSP-Conlutas *

Na terça-feira (20/2), a APS Osasco (Assistência Para Saúde) teve suas dependências invadidas pela Polícia Militar, de acordo com denúncia feita pelo Sinsprev (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência no Estado de São Paulo). Segundo o Sindicato, a polícia agiu de forma truculenta, despreparada e ilegal.

A policia foi acionada por uma segurada, após falha no sistema corporativo da entidade.

Essa falha foi avisada por volta das 11h aos segurados presentes com a orientação de reagendamento dos serviços.

A Polícia Militar, segundo relato do Sindicato, interferiu no fluxo da APS, sem sequer falar com a gerência. Um vigilante, alertando para a prática, foi coagido e teve voz de prisão, com o argumento de desacato.

O reforço policial foi chamado, com a presença de cerca de sete viaturas.  O vigilante foi algemado e sofreu violenta agressão. Outra vigilante também foi agredida, ao tentar argumentar com os policiais que não havia necessidade desses procedimentos.

“Os servidores da APS foram constrangidos com tamanha violência, abuso de autoridade e excessivo de contingente policial, totalmente desproporcional para o ocorrido, bem como também buscaram intervir junto aos policiais para resolver a barbárie em curso, porém foram ameaçados de serem levados à delegacia por desacato”, relata em nota o Sinsprev. O vigilante foi liberado, após dar esclarecimento na delegacia.

“O Sinsprev/SP repudia veementemente a atuação totalmente violenta, truculenta e ilegal da Polícia Militar, que agiu com abuso de autoridade, dentro das dependências do INSS, solidarizando-se aos trabalhadores agredidos e reafirmando seu compromisso com a defesa dos trabalhadores”, avaliou em nota o Sindicato.

 

* Com informações do Sinsprev

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *