Para Boulos, a esquerda deve se unir contra a ‘intolerância’

O pré-candidato do PSOL nas eleições presidenciais fala sobre os efeitos da prisão de Lula

Foto por Ricardo Stucker

A prisão de Luiz Inácio Lula da Silva movimentou os partidos de esquerda do país, que engrossaram o coro contra a condenação. A tese é de que houve um ataque contra a democracia e se trata de uma prisão política. Entre os líderes que têm defendido resistência está Guilherme Boulos, presidenciável do PSOL e coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MTST). Ao Jornal Destak, ele afirmou que um dos maiores desafios da esquerda será combater a intolerância.

Destak: O que a prisão de Lula representa para os movimentos de esquerda?
Guilherme Boulos: A prisão do ex-presidente Lula representa um ataque a democracia brasileira. Quando juízes fazem política, a justiça está seriamente comprometida.

Qual é o principal aspecto do cenário atual que justifica a resistência, principalmente nas ruas? 
Esta prisão é completamente arbitrária e ilegal. Não há no processo nenhuma prova contra o ex-presidente. Há uma evidente perseguição política. Contra Temer tem provas de sobra e ele está no Planalto. Contra Aécio, igualmente, e ele está no Senado. Contra Lula não há nada e ele está preso. Isso é justiça?Os partidos de esquerda devem intensificar a união a partir de agora?
Esse é um momento de unidade pela democracia e contra o avanço da violência e intolerância política. Unidade pela liberdade de Lula. A esquerda estará junta nesses pontos.

Durante discurso, Lula classificou a sua trajetória como semelhante à dele. Existe algum ponto que diferencia a sua geração ou estamos falando de desafios iguais na política nacional?
A história não se repete. Os desafios de hoje são distintos do que eram quando Lula iniciou sua trajetória. Mas enfrentar a desigualdade e lutar pela democracia segue sendo fundamental.

O cenário de conflito que se mostrou durante os protestos devido à prisão serviu como uma prévia do que serão as manifestações durante as eleições?
De nossa parte não houve conflito. Houve resistência legítima contra uma arbitrariedade.

Qual é a sua avaliação sobre a ação policial durante as manifestações?
Se você se refere aos episódios de Curitiba, infelizmente houve um ataque brutal da polícia contra milhares de pessoas que se manifestavam pacificamente. Retrato da crise democrática do país.

Por Carolina Cruz

Fonte: Jornal Destak

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *