ONU condena ações da Prefeitura de SP na região da ‘Cracolândia’: “discriminatórias e violentas”

Com informações de O Estado de S. Paulo

Foto por Alex Silva/Estadão

A Organização das Nações Unidas (ONU), por meio de relatório escrito por relatores estrangeiros, condenou as ações desempenhadas pelas forças de segurança no bairro da Luz, centro da cidade de São Paulo, na área conhecida popularmente por “Cracolândia”.

Segundo os relatores, as políticas de combate às drogas na região possuem uma estratégia “discriminatória, que vai de fato contra aqueles que vivem em situação de pobreza e exclusão social”.

O relatório é de agosto de 2017 e cobrava respostas por parte do Governo Federal. Diante do silêncio da administração Temer, a ONU decidiu nesta quarta (21/1) publicar a carta enviada ao Palácio do Planalto em seu site oficial.

Os seus autores — Dainius Puras (Direito à Saúde), Leilani Farha (Direito à Moradia) e Philip Alston (Combate à Pobreza Extrema) — citam operações com “múltiplas violações cometidas durante e depois da intervenção contra residências do bairro conhecido como Cracolândia”.

“A polícia prendeu a todos que resistiram (…) com uso desproporcional da força. Nos dias seguintes à intervenção da polícia, centenas de pessoas, incluindo crianças e idosos, foram deixados desabrigados, sem acesso a serviços essenciais. Nenhuma acomodação alternativa foi oferecida”, diz o relatório.

Ao todo, foram enviadas cinco cartas diretamente ao Governo Federal que pediam esclarecimentos e investigações sobre as ações da Prefeitura de São Paulo, sob o comando do tucano João Doria. Nenhum dos comunicados obteve resposta oficial.

Cabe lembrar que, ainda em maio de 2017, após a primeira (e espalhafatosa) operação na área, Doria havia decretado que a “Cracolândia” não existia mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.