Moradores da Cracolândia sofrem com sítio violento

Moradores da região da chamada Cracolândia são expostos a humilhações diárias levadas a cabo por policiais da GCM e da PM
Por Cecília Bacha, Katia Passos e Gabriela ForabelliCom o aval da opinião pública, cega pela construção midiática do discurso de combate ao tráfico, moradores da região da chamada Cracolândia são expostos a humilhações diárias levadas a cabo por policiais da GCM e da PM.

O que você acharia de acordar de manhã e ter uma viatura não na sua rua, mas bloqueando a entrada e saída da porta de entrada da sua própria casa?

E flagrar seus filhos e netos, alguns ainda crianças, do lado de casa sendo revistados e fotografados por um Guarda da GCM que deveria zelar pela segurança de toda a comunidade?

“NÓS SOMOS MORADORES, NÃO SOMOS TRAFICANTES”, PROTESTA DONA MARIA, MORADORA ANTIGA DA RUA DINO BUENO.

Para trabalhadores e moradores da região ainda não foi possível retomar a vida. A rua Dino Bueno tem cara de “cidade fantasma” com estabelecimentos fechados e poucas residências ocupadas.  Além de terem seus comércios lacrados às pressas durante a tal ação, moradores tiveram seus lares marcados com números que segundo eles próprios, servem para cadastrar as residências em algum programa que a prefeitura nunca voltou para explicar.

O que se esconde atrás do cerco violento promovido por Alckmin e Doria nos arredores da Cracolândia é, na verdade, o patrocínio público do expurgo dessa população para a construção de uma ilha artificial de edifícios freqüentados por CEOs engravatados.

Fonte: Jornalistas Livres

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.