Mesmo após recuo de Temer, semana começa com protestos nas estradas

Governo fez concessões aos caminhoneiros

Paralisações já estão no 8º dia

Paralisação de caminhoneiros na rodovia Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP) no domingo | Foto por Roberto Parizotti/Fotos Públicas

O anúncio de concessões do governo federal aos caminhoneiros feito na noite de domingo (27.mai.2018) não foi suficiente para acabar com os protestos nas rodovias do país na manhã desta 2ª feira (28.mai). Pelo menos 25 Estados e o Distrito Federal registravam protestos nas estradas no começo do dia.

É o 8º dia de paralisações dos caminhoneiros contra as altas no preço do diesel. Depois de a Petrobras congelar o preço do combustível nas refinarias por 15 dias, e de o governo estender a medida para 30 dias, Michel Temer anunciou que reduzirá o preço em R$ 0,46 por 60 dias.

Panorama nos estados

No Distrito Federal, pelo menos 7 caminhões-tanque conseguiram carregar combustível das distribuidoras sob escolta da Polícia Militar. Motociclistas bloqueiam rodovias em protesto contra os preços do combustível.

Em Goiás, caminhoneiros mantêm ao menos 27 pontos de paralisação, segundo a Polícia Rodoviária Federal.

Em Minas Gerais, caminhões continuam estacionados em frente à refinaria Gabriel Passos, em Betim, região metropolitana de Belo Horizonte.

Em Pernambuco, caminhões continuam parados na BR-101, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife.

No Rio Grande do Sul, manifestantes continuam bloqueando acesso à refinaria Antonio Pasqualini, próxima a Porto Alegre.

Em Santa Catarina, caminhoneiros continuam estacionados nos acostamentos da BR-101. São ao menos 5 pontos de concentração.

Em São Paulo, as rodovias Anhanguera, Bandeirantes e Régis Bittencourt têm bloqueios parciais. Na Dutra, caminhoneiros continuam estacionados no acostamento, mas não bloqueiam a rodovia. Um protesto na rodovia Raposo Tavares bloqueou completamente a via por volta das 6h, mas a circulação já foi liberada.

Em Sergipe, são ao menos 6 pontos de manifestação segundo a Polícia Rodoviária Federal. Caminhões estão parados na BR-101, na BR-235 e na rodovia estadual SE-70.

A situação em São Luís está crítica. Por conta do bloqueio, o abastecimento de alimentos ficou bastante comprometido. A produção de legumes, frutas e verduras não chegou à capital e o Ceara enfrenta uma crise de falta de produtos. De acordo com fornecedores, sem a chegada desses produtos e com o fim do estoque, já não há mais nada para oferecer aos supermercados, mercados e consumidores.

Na Bahia, as rodovias federais e estudais seguem com protesto. Nas manifestações, o tráfego flui normalmente para carros e ônibus. Apenas caminhões e carretas são retidos.

 

Fonte: Poder360

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *