Imagens do 5º Ato dos Secundaristas pelo Passe Livre Estudantil

Fonte: Democratize

Imagens por Reinaldo Meneguim

Aconteceu ontem, dia 24 de agosto, mais um ato protesto na capital paulista contra as mudanças feitas pelo prefeito João Doria no passe livre estudantil, reduzido de oito viagens durante 24h para quatro viagens por duas horas. Isso, para os estudantes, é um impedimento do direito à cidade porque limita o passe somente ao trajeto casa-escola, impedindo outros deslocamentos para atividades culturais diversas, que contribuem para a formação e desenvolvimento sociocultural, principalmente, dos estudantes que moram nas periferias. Onde existem poucos aparelhos públicos para atividades culturais, fato que leva os estudantes a procurarem por atividades na região central da cidade — onde não faltam teatros, bibliotecas, centros culturais e outras atividades gratuitas.

Ontem, o 5º ato pelo Passe Livre convocado por estudantes secundaristas autônomos (que não estão ligados a nenhuma entidade estudantil organizada) reuniu cerca de 300 jovens na Praça da Sé, marco zero de São Paulo. Com palavras de ordem pelo passe livre estudantil e contra a PM, que os seguiam, os manifestantes percorreram algumas ruas do centro antigo da capital paulista.

Na avenida 23 de Maio, próxima da Praça das Bandeiras, os secundaristas fecharam a via e queimaram uma catraca feita de isopor. A PM, então, cercou os estudantes que após meia hora desocuparam a via e se deslocaram até a frente da sede da prefeitura, onde encerraram o ato queimando um boneco feito com a figura de João Doria.
Na dispersão, alguns estudantes se encaminharam para o metrô para a volta para casa, e encontraram as portas fechadas. Primeiro na estação Anhangabaú, depois nas estações São Bento e República. A PM fortemente armada acompanhou todo o ato mesmo após dispersão.


Alguns estudantes que não conseguiram entrar no metrô entraram em um ônibus na praça da República, que tinha como destino o Bairro de Campo Limpo Paulista — zona sul de São Paulo. A PM seguiu o ônibus, parado na rua da Consolação, próximo ao cemitério, e lá com violência retirou os estudantes do veículo, segundo imagens e relatos feitos na página oficial do ato contra a modificação do passe livre estudantil.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *