8 de Março, dia de luta!

No mundo todo, mulheres e homens vão às ruas no dia 8 de março para lembrar que as mulheres ainda são vítimas de violência doméstica e do feminicídio.

Para lembrar que as mulheres ainda ganham menos que os homens, desempenhando a mesma função. São as mulheres que ocupam os empregos mais precários e desprotegidos de direitos, além de serem muitas vezes mãe e trabalharem fora, acumulando dupla jornada de trabalho.

Machismo e desigualdade

No Brasil as mulheres, segundo dados do próprio governo, ganham cerca de 30% menos que homens e as mulheres negras chegam a ganhar 63% menos que homens brancos, trabalhando no mesmo cargo e com a mesma formação. Por isso, a luta pela igualdade de direitos é uma luta de todos e todas nós que lutamos por justiça!

Medidas de Bolsonaro pioram situação das mulheres

A situação pode se agravar ainda mais com o atual governo do Bolsonaro. A facilitação do acesso a armas de fogo, coloca mais ainda em risco a vida das mulheres. Grande parte dos assassinatos cometidos contra as mulheres ocorrem em casa pelo próprio marido. Só em janeiro deste ano, já foram registrados 100 casos de feminicídios no Brasil.

Reforma da Previdência atingirá mais as mulheres

Além disso, a Reforma da Previdência proposta pelo Bolsonaro quer aumentar a idade mínima de 60 para 62 anos, no caso das mulheres, e 40 anos de contribuição, desconsiderando totalmente a realidade brasileira.

Por isso, dia 8 estaremos nas ruas! o Ato Unificado será às 16 horas, no MASP. Queremos igualdade, justiça e acima de tudo queremos viver!

O que é Feminicídio?

O Feminicídio é um crime de ódio. O conceito surgiu em 1970, com o fim de reconhecer a discriminação, opressão, desigualdade e violência contra as mulheres, que culmina na morte.

Milhares de mulheres são assassinadas, só em 2013 foram registrados 13 homicídios femininos por dia, quase 5 mil no ano. São mortes violentas de mulheres, motivadas apenas pelo fato de serem mulheres. O Brasil ocupa o 5º lugar no ranking mundial de feminicídio, ou seja, somos o quinto país no mundo que mais mata mulheres, motivado pelo ódio.

No Código Penal brasileiro, o feminicídio está definido como um crime hediondo, tipificado nos seguintes termos: é o assassinato de uma mulher cometido em razão da condição de sexo feminino, quando o crime envolve violência doméstica e familiar, menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Violência contra a mulher é crime! E onde tem violência precisamos sim, meter a colher. Não seja conivente com a violência, o seu silêncio pode colaborar com a violência ou com a morte de uma mulher. A sua voz pode salvar uma vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *