Solidariedade Sem-Teto: MTST distribui mais de 1.000 cestas básicas na zona leste de São Paulo

O MTST está distribuindo cestas básicas, máscaras e produtos de limpeza e higiene pessoal semanalmente na zona leste de São Paulo. Essa ação da campanha Solidariedade Sem-Teto é possível graças a doações e não é limitada a companheiras e companheiros do movimento, alcançando a população da região que está precisando de muita ajuda. As entregas são realizadas na Ocupação Copa do Povo todos os sábados, e desde o início já distribuiu mais de 1.000 cestas. “Bem mais de mil”, diz Cláudia Garcez, coordenadora estadual do MTST. “Só na primeira semana a gente entregou 588 cestas na Copa do Povo e, depois, em outras comunidades na região leste. E daí o número foi crescendo”, acrescenta.

Houve divulgação nas redes de Whatsapp, tocados pelos coordenadores do MTST, para que pessoas em situação de necessidade fossem retirar as cestas em locais determinados e na primeira semana o movimento foi mais tranquilo — as pessoas ainda não entendiam direito o porquê dos convites à Ocupação Copa do Povo (sempre zelando pelo distanciamento, viu?). Com o decorrer dos dias, a notícia se alastrou, por boca a boca e pelas redes socias, a situação das famílias também foi ficando cada vez mais difícil, e a procura só aumentou. “Quando passou o primeiro mês a coisa cresceu muito mesmo, muita gente pedindo ajuda, pedindo uma cesta, entrando em contato”, conta a coordenadora.

Além da distribuição de cestas que ocorre nos fins de semana na ocupação, também acontecem algumas ‘entregas emergenciais’ (como foram nomeadas) ao longo da semana. “Alguns companheiros, por exemplo, tinham a necessidade de comer hoje, quarta-feira, e não aguentariam esperar até o sábado, que é o dia escolhido para entregar as cestas”, coloca Cláudia, numa fala forte. Nesses casos de urgência ainda maior, muitas vezes usa-se o programa batizado de “Carona Solidária”, quando voluntários de fora do movimento se colocam a disposição para ajudar com seus próprios veículos na entrega.

Todo esse processo foi e continua sendo realizado com muita atenção no que diz respeito ao combate ao coronavírus. Participantes da ação estão sempre protegidos com máscara e uso de álcool em gel. Mesmo com a grande quantidade de pessoas que busca o MTST por ajuda, o distaciamento entre elas é orientado, e muitas informações e instruções são dadas quanto aos cuidados com a higiene.

Inclusive, informação e orientação é com o MTST mesmo! Uma outra demanda que surgiu com a pandemia, e que o movimento busca suprir da melhor maneira possível, foi a procura por ajuda para entender os procedimentos do auxílio emergencial do governo e para tirar dúvidas quanto a outros direitos, como a alimentação para as crianças, por exemplo. O acesso a essas informações não é simples e as pessoas têm as mais diversas dificuldades. Tanto quem precisa da cesta básica, quanto quem tem dúvidas em relação a seus direitos e a como proceder, costuma entrar em contato através de telefone e de redes sociais, principalmente através do Whatsapp. Busca-se também fazer um levantamento das pessoas em situação vulnerável para que continuem a ser ajudadas, e há a atuação parceira do S.O.S Corona — que é uma rede criada na região leste, com o movimento e com outras militâncias, em prol da população local.

Toda essa intervenção foi muito bem recebida, com alegria e gratidão, pelas famílias da zona leste. Além de cestas e produtos, as pessoas recebem informações corretas e acolhimento. Sabem, então, que não estão sozinhas. O MTST sabe, e está colado. Sabe que natural mesmo é que a alimentação seja diária e farta para todos, e não com data marcada. Sabe e luta para que esta seja a realidade.

MTST: Fazendo o que o governo não faz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *