Prefeito tucano tenta impedir show de Caetano Veloso em ocupação em São Bernardo

Fonte: Jornal GGN

A gestão do prefeito de São Bernardo do Campo Orlando Morando (PSDB) mobilizou a Guarda Civil Municipal para impedir a passagem de carros que transportam equipamentos de som necessários à realização de um show do Caetano Veloso na ocupação do MTST e Povo Sem Medo, no bairro Planalto. “É um retrato do que tem sido a postura da prefeitura com a ocupação desde o primeiro dia”, diz Guilherme Boulos.

Por conta da ação da GCM, artistas que também participam da mobilização nesta segunda (30) se dirigiram para o Paço, numa tentativa de negociar a liberação dos equipamentos.

Em vídeo divulgado pela Mídia Ninja é possível ver as atrizes Letícia Sabatela, Alinne Moraes, Sonia Braga e a cineasta Marina Person fazendo um apelo aos secretários de Morando, classificando a atitude da Prefeitura como anti-democrática e informando que o show vai acontecer de qualquer jeito. O evento está previsto para as 19h.

O prefeito não aparece no vídeo recepcionando as artistas e representantes do movimento, mas sim membros do primeiro escalão do governo que pediram para o vídeo ser interrompido pois se tratava de uma “reunião de trabalho” que não deveria ser exposta ao público sem autorização.

O portal G1 divulgou uma carta de moradores das proximidades da ocupação à Prefeitura solicitando medidas para evitar a realização do show, por motivos de segurança. A carta lembra ainda que a ocupação é ilegal e já houve ordem da Justiça para fazer a reintegração de posse da área. Por decisão do Tribunal de Justiça, a ordem deve ser cumprida somente após negociação com o poder público, que deve ocorrer em 11 de dezembro.

Segundo Guilherme Boulos, a mobilização desta segunda é uma maneira de pressionar as autoridades a discutiram o acordo esperado pelo TJ-SP. Ele ainda afirmou que, hoje, cerca de 8 mil famílias estão lotadas na área que pertencia a uma construtora e estava inutilizada há décadas.

Eleito em 2016, Orlando Morando já protagonizou outro episódio polêmico envolvendo censura. Ele impediu uma jornalista do veículo ABCD Maior de participar de uma coletiva de imprensa, alegando que o jornal era ligado ao PT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *