Niterói vai amanhecer vermelha!

Neste exato momento, na noite de 07 de agosto, cerca de 200 famílias organizadas pelo MTST ocupam um terreno localizado no Largo da Batalha, atrás do Fórum, no início da Estrada Francisco da Cruz Nunes. Abandonado há muitos anos, o terreno, de propriedade da prefeitura municipal, vem servindo como depósito de lixo e entulho. O projeto de construir um terminal já não existe e a área, localizada em uma das regiões mais valorizadas da cidade segue vazio enquanto milhares de niteroienses continuam sofrendo com a falta de moradia.

Após a tragédia dos deslizamentos de 2010, muito se falou, mas pouco foi feito. A maioria dos atingidos pelo desastre continua morando em áreas de risco, vivendo de favor ou pagando alugueis cada vez mais caros. E essa também é a realidade da maioria dos cerca de 200 mil habitantes de favelas da cidade. Ou seja, quase metade dos cidadãos de Niterói vive o drama de não ter uma moradia digna. A construção de moradias pelo Minha Casa Minha Vida não só não foi suficiente para sanar o problema, como beira a um escândalo: dois prédios tiveram que ser demolidos por não apresentarem condições mínimas de infraestrutura e os que foram entregues estão visivelmente danificados. Uma nova tragédia pode ocorrer a qualquer momento.

É pelo agravamento da situação e pelo abandono que centenas de famílias buscaram se organizar e hoje ocupam este terreno. Exigimos ser tratados como gente e não como números! Queremos a imediata destinação da área ocupada para construção de moradia popular por meio da modalidade Entidades do programa Minha Casa Minha Vida, na qual temos a possibilidade de construir habitação digna.

Quando morar é um privilégio, ocupar é um direito!

Coordenação Estadual do MTST/RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *