MTST pressiona, canta e caminha largos passos rumo à conquista para ocupações em SP

Se na quarta-feira o MTST já havia balançado o centro de São Paulo ao ocupar a Secretaria de Habitação do Estado, nesta quinta, 14 de junho, o ritual foi parecido. E deu resultados. Foram horas de cantoria das e dos militantes do lado de fora da Prefeitura Municipal, sob um forte frio, para receber boas notícias quando a noite já havia chegado.

Ao final do encontro entre representantes da prefeitura e do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, o secretário adjunto de Habitação, Aloísio Barbosa, subiu ao caminhão de som para prestar esclarecimentos à multidão que havia marchado da Praça da República até o Viaduto do Chá. O secretário relatou a retomada de um grupo técnico de trabalho para coordenar e distribuir com rapidez os processos relacionados à moradia popular.

O grupo será formado por cinco secretarias de governo — Habitação, Urbanismo e Licenciamento, Verde e Meio Ambiente, de Governo e do Gabinete do Prefeito –, articuladas entre si e lideradas pelo secretário de Governo, Júlio Semeghini. Essa comissão interna se compromete a analisar e agilizar todas as aprovações de projetos de moradia. A primeira reunião do grupo especial já tem data para ocorrer: 28 de junho.

Como o coordenador Josué Rocha reforçou, a notícia é extremamente importante para várias ocupações, como Dona Deda, Capadócia, Chico Mendes II, Faixa de Gaza, Anastácia, Copa do Povo, Esperança Vermelha, Povo Sem Medo do Capão e Vila Nova Palestina. Mas as boas novas também alcançaram as duas novas ocupações do MTST em São Paulo: Marielle Vive, em Pirituba, e Marielle Franco, no Grajaú.

“Se eles demorarem para concretizar os outros passos que precisamos dar, a gente volta por que já sabe o caminho da prefeitura”

Já na próxima quarta-feira, 20 de junho, a Prefeitura Municipal de São Paulo vai dar um retorno sobre as primeiras negociações e contato com os proprietários dos terrenos das Marielles. Em pauta, a mediação do conflito e a busca por um acordo que possa beneficiar as milhares de famílias acampadas.

Pontos específicos de outras ocupações

Sobre a Ocupação Povo Sem Medo do Capão, foi discutida a aprovação do projeto para as obras, que depende da viabilização de um novo acesso ao terreno. Com a criação do grupo técnico, a expectativa é de que a abertura de uma nova rua no local seja estabelecida em breve, o que fará com que o projeto para as moradias avance e seja aprovado em definitivo.

Já a gleba B da Ocupação Copa do Povo deve ter o seu termo de compromisso ambiental confeccionado em pouco tempo. Até a próxima quarta-feira, dia 20, o secretário do Verde e Meio Ambiente, Eduardo de Castro, deve dar um retorno sobre o termo que já foi enviado para a câmara técnica, responsável por firmar o compromisso ambiental do terreno. Assim, as novas unidades habitacionais para o local terão a sua construção viabilizada. Na quarta, novas notícias sobre a gleba A também serão trazidas, com respostas sobre prazos.

Para a Vila Nova Palestina também serão discutidas áreas alternativas para a realização dos empreendimentos. Já as ocupações Faixa de GazaChico Mendes II, AnastáciaEsperança Vermelha ganharam o compromisso de que os processos de contratação sejam acelerados, fazendo com que todas e todos os acampados sejam beneficiados em breve.

Ainda que um documento firmando esses e outros compromissos tenha sido assinado, a coordenação do MTST reforçou que a luta está longe de terminar. “Nós não saímos daqui com todas as definições e contamos todos os detalhes das negociações para todo mundo saber, com muita transparência. Mas demos alguns passos muito importantes hoje, aqui na prefeitura. Se eles demorarem para concretizar os outros passos que precisamos dar, a gente volta por que já sabe o caminho da prefeitura”, discursou Josué ao final dos encaminhamentos.

“Quando a gente começa uma luta, uma manifestação, a gente não tem ideia de qual vai ser o resultado no final. O que a gente sabe é que a nossa parte estamos fazendo, que é nos mobilizar e lutar pelos nossos direitos. Mas depois de um ato desses, com todo o trajeto cumprido, enfrentando esse frio de hoje, chegando na prefeitura e sendo recebido, a gente sai daqui sabendo que conseguiu avanços importantes. E aí tem muito o que se comemorar”, finalizou.

MTST, A LUTA É PRA VALER

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *