MTST: 20 anos rompendo as contradições do Brasil

Por Brigada de Comunicação

Ao final do 2° dia do 3º Encontro Nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, no auditório da Escola Municipal Professora Valdelice Aparecida Medeiros Prass (Embu das Artes, São Paulo), aconteceu o ato político dos 20 anos do MTST. Nesse momento foi apresentada uma prévia do filme com a história do movimento, realizado pela Brigada de Comunicação e com a direção de Amina Jorge, seguida do lançamento do livro MTST 20 anos de história – Luta, organização e esperança nas periferias do Brasil” — que conta, em detalhes, a história do maior movimento de luta urbana da atualidade. Ainda foi lançada a campanha de Financiamento Recorrente, na plataforma do Catarse, com o objetivo de manter firme a resistência de trabalhadoras e trabalhadores. O evento foi encerrado com a Mesa de Aliados, que abordou a importância do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto.

O auditório estava tomado pelos guerreiros e guerreiras que constroem a luta diária das ocupações e que vibraram muito durante a exibição do 1º corte do filme que contou com imagens das lutas e de personalidades do próprio movimento, reafirmando uma caminhada, desde 1997, de força, coragem e conquistas. No que depender do clima transmitido pela plateia, os próximos 20 anos serão de energia e novas ocupações por todo território brasileiro.

A campanha de Financiamento Recorrente reforçou o quanto sua visibilidade ampliará o apoio ao movimento e, sobretudo, para que se mantenha firme e resistente frente aos embates por justiça social e em especial, o direito à moradia. Por ser suprapartidário, o MTST precisa da colaboração coletiva para manter sua autonomia e dessa forma, a plataforma do Catarse será o veículo para essa captação financeira independente. Por mais 20 anos de lutas, o site www.catarse.me/colabore_mtst está disponível para divulgação.

O momento do lançamento do livro, “MTST 20 anos de história – Luta, organização e esperança nas periferias do Brasil”, escrito pelos coordenadores e militantes Guilherme Simões, Marcos Campos e Rud Rafael, conta com textos, reflexões e relatos, além de fotos e quadrinhos, se mostrando como mais uma parte emocionante e histórica para todos e todas que lutam por cidadania e justiça social, sendo fortemente aplaudido pela plateia.

A Mesa dos Aliados teve as presenças de Vagner Freitas, da CUT, Índio, representante da Intersindical, Mariana, Presidenta da UNE, Mariellen, do Fora do Eixo/Mídia Ninja, Ivone, do Sindicato dos Bancários/SP, Bebel, Presidenta da APEOESP, Alexandre Padilha do PT/SP, Ivan Valente do PSOL/SP, Edmilson Costa, do PCB/SP, além de fortes representantes de movimentos sociais como o MST, o Movimento de Mulheres Olga Benário, a Marcha Mundial das Mulheres, as Brigadas Populares, o Movimento Pequenos Agricultores e Movimentos de Luta por Moradia.

Todos destacaram a relevância histórica do MTST como símbolo e resistência contra as perdas sociais que acentuam abismos e massacram trabalhadores e trabalhadoras de todo o país. Também foi ressaltado que, somada à luta pela moradia, as pautas negra, feminista, de juventude e LGBT se entrelaçam e demonstram o desejo de uma transformação profunda no modo como as cidades estão organizadas.

O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Guilherme Boulos, em suas palavras de agradecimento, demonstrou os grandes desafios para o futuro:

“um projeto de país em que haja justiça social plena, a intensificação do trabalho de base do MTST e o surgimento de novas ocupações por todo o Brasil.”

Força ao Movimento dos Trabalhadores Sem Teto e que continue agindo como uma luz sobre as imensas contradições dos sistemas político e econômico e rompendo, em definitivo, o status quo.

MTST, a luta é pra valer!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *