Moradores de ocupação Marielle Franco ganham celebração de páscoa

Solidariedade fez a páscoa dos moradores da ocupação Marielle Franco, no Centro do Recife

Tarde de brincadeiras marcou ocupação. | Foto por Ines Campelo

Com o apoio e a mobilização da sociedade civil, as famílias da Ocupação Marielle Franco, no Centro do Recife, não passaram a páscoa em branco. As cerca de 200 famílias que estão, desde o último dia 20 de março no prédio abandonado do antigo Hotel Nassau, celebraram a data, neste domingo (1), com um almoço e uma festa para as crianças. Em um ato de solidariedade e fortalecimento ao movimento, os ocupantes tiveram uma ceia com peixes doados e receberam chocolates, livros e brinquedos, além de participar de atividades educativas.

A ocupação é coordenada e liderada por mulheres, como parte de uma agenda de luta do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) em defesa da pauta feminina. Com uma população majoritária de mulheres, ocupação é também local de moradia de 65 crianças. Foi para elas, sobretudo, a mobilização de páscoa. Foram distribuídos cerca de 70 kits e realizadas brincadeiras, contação de histórias e pintura.

“O nosso movimento existe há 20 anos. E ele só é grande e forte pela contribuição e ajuda das pessoas. Nós temos um quantitativo grande de crianças. Então, é muito significativo saber que as pessoas se importam umas com as outras e nos visitam, ajudam. Isso também traz uma legitimidade ao movimento”, comentou a coordenadora estadual do MTST, Vitória Silva.

Segundo ela, há uma demanda permanente na ocupação por doações de fraldas tamanhos M e G, leite, roupas infantis para crianças de até um ano, remédios e livros. As contribuições podem ser feitas na portaria do edifício, localizado próximo à Praça da Independência, no Bairro de Santo Antônio, e na sede do Diretório Acadêmico de Direito da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). Os organizadores pretendem lançar um sistema de arrecadação de doações online, até o início da próxima semana.

A Ocupação Marielle Franco, nomeada em homenagem à vereadora do Rio de Janeiro, assassinada no mês passado, tem como um dos objetivos trazer à tona o debate sobre a desocupação de imóveis antigos no Centro do Recife. A ideia deles é reivindicar que o prédio do antigo Hotel Nassau seja transformado em habitação social. Segundo levantamento do MTST, o edifício fechado há mais de 10 anos acumula uma dívida de quase R$ 2 milhões em imposto predial e territorial urbano.

 

Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *