Cozinha Comunitária do MTST em São Gonçalo | Juntos, saíremos mais fortes

Como Maria Carolina de Jesus, escritora, preta, periférica, já dizia: “O Brasil precisa ser dirigido por alguém que já passou fome”.

E, infelizmente, segue sendo uma realidade de muitos brasileiros, afinal “de barriga cheia é mais fácil esquecer de quem tem fome”. Mas, diante das maiores dificuldades, eis que surge o fenômeno da empatia, que ainda resiste em muitos de nós e é mais bem-vinda ainda quando nasce acompanhada de sua melhor versão: a solidariedade.

A cozinha comunitária do MTST de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, é prova atuante da solidariedade. Mesmo com a pandemia, os voluntários da comunidade estão lá, equipados de máscaras, luvas, álcool em gel e muito amor, carinho e disposição; já chegaram a ser entregues 500 refeições num só dia — a associação de moradores teve a sua demanda dobrada com o coronavírus. Antes do surto, além das refeições lá eram promovidos debates e rodas de conversa com os moradores da região. Foram criados também grupos de whatsapp para combater as fake news que seguem se alastrando pelas periferias, desinformando e diminuindo a importância de a gente se proteger e de proteger a nossa gente.

Para as refeições na associação, são mais de 15kg de arroz, 10kg de feijão e 8kg de frango, fora saladas e legumes — refeições completas, feitas com todo carinho e é só chegar, todo mundo é muito bem-vindo e muito bem recebido. Existe a preocupação dos voluntários em ficarem separados entre grupos da cozinha e grupos da entrega; sempre antes de entregar as marmitas, todos recebem álcool em gel para higienizar as mãos e são orientados sobre os cuidados e a importância de quem puder ficar em casa.

Por causa da pandemia a distribuição está sendo feita aos domingos, na parte de fora da associação, mas continua a todo vapor, como relata Celi, principal referência no projeto de cozinha comunitária do MTST: “As pessoas perguntam a semana toda sobre a cozinha, ‘vai ter comida?’. Histórias não faltam e nem riqueza nelas, muitas pessoas dependem da cozinha e seria difícil fechar sabendo que tem tanta gente com fome lá fora”.

No último mês de abril, o Fundo Solidário do MTST esteve em São Gonçalo com cestas básicas e kits de higiene, ajudando a abastecer a despensa e a vontade de todo o time.

>> Você também pode ajudar nessa luta ao contribuir com a campanha do Fundo Emergencial, clicando aqui.

Que projetos lindos e tão afetuosos como esse, da cozinha comunitária na periferia do Rio, possam nos inspirar; que possamos nos preencher sempre e cada vez mais de empatia nesses tempos difíceis; que estejamos ainda mais conectados em pensamento coletivo, sabendo que não vai ser fácil, que não está sendo, mas que o mais importante de tudo é saber que não estamos sozinhos. JUNTOS, sairemos dessa ainda mais fortes!

MTST, A LUTA PRA VALER!

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *