8 de março: Dia Internacional de Luta das Mulheres

O Dia Internacional da Mulher não foi criado como tantos outros pelo comércio oportunistas na venda simbólica de flores, chocolate e afins baseados na homenagem capitalista e hipócrita diante da realidade, o seu significado é muito maior!!

Ele existe desde os anos 20 através da luta e resistência trabalhista, mulheres europeias, que trabalhavam em situações degradantes nas fábricas se uniram à partidos socialistas pela luta por direitos iguais!

Nas origens podemos citar a passeata em Nova Iorque no dia 26 de fevereiro de 1909, onde mais de 15 mil mulheres marcharam contra as jornadas abusivas de trabalho, que chegavam a 16h/dia, 6 dias por semana incluindo domingos.

Em 1910 na Europa, Clara Zetkin convocou as uma jornada de manifestações, tendo o crescimento dos movimentos femininos nas fábricas como impulsor.

A ideia de Zetkin era criar uma grande manifestação das mulheres pelo menos 1 vez ao ano, sem data específica, mas que tivesse forma e grande mobilização, o primeiro grande ato aconteceu no dia 19 de março de 1911.

Em 1917 o marco das marchas foi no dia 08 de março – 23 de fevereiro no calendário Russo, o calendário gregoriano foi adotado pelos soviéticos em 1918 – levou operárias às ruas em protestos contra a fome e contra a primeira Grande Guerra, a comoção nas ruas foi o start para a Revolução Russa.

A ONU oficializou o dia oficial da mulher em 1975, em homenagem às lutas e conquistas políticas das mulheres na época.

A importância desse dia se faz até os dias de hoje, com todos os fragmentos da desigualdade nos direitos, à violência consentida por uma sociedade estruturalmente machista e números impactantes que nos deixam sempre em alerta e em constante mal estar.

A Lei do Feminicídio, sancionada em março de 2015 durante o governo Dilma incluindo o feminicídio como uma modalidade de homicídio qualificado, entrando no rol dos crimes hediondos, estabeleceu números para os crimes de gênero, e nos fez ter base do absurdo que as mulheres enfrentam todos os dias, crimes contra direitos e atentados à vida.

“Em 2018, foram mais de 92 mil ligações para a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência – o Disque 180.

O balanço publicado pelo jornal “Correio Braziliense” mostrou também que só, em dezembro, 391 mulheres foram agredidas por dia e foram registradas 974 tentativas de feminicídio – um aumento de 78% em relação ao mesmo período do ano passado.

“O estudo do Ministério da Saúde cruzou os registros de mortes com os de atendimentos na rede pública entre 2011 e 2016 e revelou que, em seis anos, 6.393 mulheres morreram, apesar de já terem procurado ajuda em outras ocasiões.”

Matéria divulgada na Globo.com em 08/01/2019

No MTST a maioria de nossas camaradas de luta são MULHERES, lado a lado na briga por direitos, por Moradia, Dignidade, Visibilidade e Igualdade, nesse 8 de março de 2019 estaremos com todas elas e com todas as companheiras que acreditam num Brasil mais justo, que respeite de verdade suas mulheres, que se levante contra a violência, o assédio e toda forma de diminuir e desqualificar as nossas guerreiras.

Dia da Mulher e de Luta é todo dia, hoje iremos unir todas essas vozes e gritar por um basta, não vamos aceitar todo esse absurdo caladas, os números e nossas vidas não se reduzem aos jargões de “mimimi” para diminuir a nossa luta, o nosso tamanho e a nossa vida, estaremos juntas, ninguém vai soltar a mão de ninguém!

Quem não pode com a formiga, não atiça o formigueiro vai ter resistência!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *